Pensar Aracaju: Iran Barbosa debate educação com a militância petista

0
86
Parlamentar e professor, Iran deu as suas contribuições no debate sobre educação

O Diretório Municipal do Partido dos Trabalhadores da Capital sergipana realizou, em sua sede, na noite da segunda-feira, 29, o 2º Ciclo de Debates ‘Pensar Aracaju’, onde se discutiu ‘O PT e as Políticas Educacionais em Aracaju e no Brasil’. O professor e deputado estadual Iran Barbosa (PT) foi um dos convidados a discutir o tema. Também participaram o presidente do Sindicato dos Profissionais do Ensino do Município de Aracaju (Sindipema), Adelmo Meneses; a presidente da União Sergipana dos Estudantes Secundaristas de Sergipe (USES), Lizandra Dawany; Cajuh Almeida, diretora de Universidades Públicas da União Nacional dos Estudantes (UNE); e a professora e deputada estadual Teresa Leitão, do PT/PE, presidente da Comissão de Educação e Cultura da Alepe e coordenadora nacional de Educação do PT.

Em sua fala, Iran Barbosa lembrou que o Partido dos Trabalhadores tem experiências riquíssimas e positivas na área da educação, no tempo em que governou a capital sergipana (2000 a 2006), com Marcelo Déda, e que precisam ser resgatadas. Na época, a secretária de Educação era a professora Ana Lúcia.

“Sempre tivemos, entre os eixos prioritários do nosso partido, o diálogo permanente com a população e a educação como política pública transformadora da sociedade. Nós vivenciamos momentos muito ricos quando a companheira Ana Lúcia foi secretária de Educação, e esse legado positivo precisa ser resgatado. As gestões petistas têm esse olhar diferenciado e tem a educação como foco central. Infelizmente, não se deu sequência a isso”, lembrou.

Em sua análise, Iran destacou que Aracaju enfrenta graves problemas no setor da educação, inclusive pelo fato de a PMA não aplicar o mínimo constitucional de 25% nas políticas educacionais.

“Isso é caso, inclusive, de intervenção. Fiz várias denúncias, quando fui vereador, o MEC notifica todo ano a Câmara, mas nada muda. Eles usam de vários artifícios para ir burlando a legislação e não aplicar os 25%. É uma lástima”, lamentou.

Plano Municipal de Educação

Um segundo ponto negativo, derivado do anterior, na avaliação do petista, é que a PMA também não respeita as determinações do Plano Municipal de Educação, que tem sido praticamente negligenciado. Além de não estar sendo avaliado, após os anos iniciais da sua vigência, a aplicação de 28% dos tributos e royalties, previstos para os investimento em Educação a partir de 2018, definido pelo PME, também não vem sendo respeitado.

Em sua abordagem, Iran também pontuou como negativa a política de Aracaju no quesito valorização profissional, levando-se em consideração formação, carreira, salário e condições de trabalho dos profissionais do magistério.

“Aracaju deve muito também no quesito valorização profissional, em todos os aspectos. Basta dizer que tanto o achatamento da nossa carreira quanto o não pagamento do piso salarial do Magistério se iniciaram na primeira gestão de Edvaldo e se aprofundaram agora, em sua segunda gestão. Triste ter que lembrar isso, mas na gestão João Alves, um quadro da direita, e que foi desastrosa, pagava-se o piso e com repercussão em toda a carreira”, lembrou.

“Edvaldo tem feito vistas grossas sobre tudo isso. É um verdadeiro absurdo. Essa gestão deve muito não só ao magistério, mas aos nossos alunos e à população aracajuana no quesito educação. A única coisa em que conseguimos avançar com relação às suas promessas de campanha foi quanto à Gestão Democrática, ainda assim com pequenos problemas”, disse.

Planejamento e juventude

Um outro aspecto negativo abordado por Iran foi planejamento. Em sua opinião, falta planejar não só Aracaju, como também o Estado, algo que foi feito, de forma muito positiva e com muita competência, nos governos petistas de Marcelo Déda. Para Iran, o que se faz hoje mal pode ser chamado de ‘Plano de Governo’, por serem políticas imediatistas.

“Precisamos pensar e planejar a médio e longo prazos. O PT já fez isso muito bem, e isso nos ajudou a governar com mais qualidade tanto a Capital quanto o Estado. Tínhamos o mapa dos problemas e se apontavam soluções. Não podemos abrir mão dessa experiência, que foi tão bem avaliada pela população”, defendeu.

De acordo com Iran Barbosa, é tarefa do PT se aproximar muito mais da juventude para buscar oxigenar o partido e reavivar a sua militância, que já é reconhecidamente forte. “É tarefa nossa se aproximar da juventude, porque isso faz parte da história do nosso partido, estar sempre buscando aproximação e a politização da juventude. Precisamos renovar os quadros e dar gás novo ao PT”, ressalta.

Ainda sobre educação, Iran lembrou que o partido sempre foi protagonista na construção de políticas públicas para o setor, por ter quadros qualificados que pensam e formulam. “Temos condição plena de fazer isso, já demos provas de que fazemos bem. Precisamos, a partir de debates como esse, voltar a construir um projeto de cidade democrática, inclusiva e participativa para apresentar à população como alternativa ao que aí está. Quero aproveitar e parabenizar o companheiro Jefferson Lima e todos que fazem o Diretório Municipal de Aracaju pela importante iniciativa,”, concluiu Iran Barbosa.

Programa para as eleições

Para o presidente do PT de Aracaju, Jefferson Lima, o Ciclo de Debates ‘Pensar Aracaju’ surge da necessidade de ouvir não só a militância petista, como também a sociedade sobre os rumos da educação e de outras políticas públicas na Capital, debatendo com os quadros do partido que discutem e formulam propostas.

“Nesta segunda etapa, estamos debatendo os problemas vivenciados hoje na educação de Aracaju, resgatando experiências exitosas do nosso partido e acumulando conteúdo neste e em outros temas que iremos discutir em novos debates, ao longo do ano de 2019, para que, em 2020, tenhamos a capacidade de apresentar um novo programa do partido à altura do que o povo da nossa cidade precisa, e preparar a nossa militância para as eleições”, afirmou Lima.

Também estiveram presentes no 2º Ciclo de Debates ‘Pensar Aracaju’ a vice-governadora, Eliane Aquino; o vice-presidente nacional do Partido dos Trabalhadores, Márcio Macedo; e a ex-deputada estadual Ana Lúcia, entre outros petistas.