Imprimir
PDF

Iran participa da 25ª Romaria das CEBs e dos 50 anos de missão de Irmã Francisca

Escrito por George W. Silva on .

Pin It

Festa reuniu centenas de romeiros de várias partes da região do Baixo São FrancisoFesta reuniu centenas de romeiros de várias partes da região do Baixo São FrancisoO vereador Iran Barbosa (PT) esteve na noite de sábado, 19, na cidade de Pacatuba, onde participou das atividades da 25ª Romaria das Comunidades Eclesiais de Base (CEBs) da Diocese de Propriá. A Romaria teve início no Povoado Areia Branca e seguiu em direção à sede do município, onde foi uma realizada uma grande missa aberta, celebrada pelo Bispo Emérito de Propriá, Dom Mário Rino Sivieri.

Uma multidão de romeiros de comunidades de todo o Baixo São Farncisco participou da missa, que teve também uma celebração muito especial: os  50 anos da presença missionária das irmãs belgas da Congregação de Namur em Sergipe, em especial, de Mathilda Antoniette Christine Hendriex, mais conhecida na região por Irmã Francisca.

Durante a missa, várias homenagens foram feitas às missionárias de Namur e à Irmã Franscisca, cuja trajetória remonta à pequena cidade flamenga de Wilderen, norte da Bélgica, onde nasceu, e que veio para o Brasil, em 1968, como missionária-educadora, junto com outras três integrantes da Congregação.

As belgas desembarcaram em Japaratuba, atendendo ao chamado do bispo da Diocese de Própria, Dom José Brandão de Castro, para se juntar a outros belgas que aqui já estavam, entre eles Gérard Lothaire Jules Olivier, o Padre Geraldo, que foi prefeito de Japaratuba, falecido em 2013. Logo em seguida, foram deslocadas para Pacatuba, para iniciar as suas ações missionárias e educadoras com as populações mais humildes e os camponeses.

Iran Barbosa ao lado da missionária belga Irmã FranciscaIran Barbosa ao lado da missionária belga Irmã Francisca“Foram 14 dias vendo somente mar, aves e peixes. Não foi fácil, mas a chegada aqui em Sergipe foi uma das coisas mais emocionantes e bonitas que vi e que jamais esqueço. O acolhimento das pessoas e, aqui, a presença do povo para nos receber, foi uma maravilha. Já faz cinquenta anos, mas ainda tenho isso na lembrança. Só tenho a agradecer a todas as pessoas que nos acolheram e nos ensinaram a falar o português. Juntos fizemos muitas coisas boas. Não tudo o que queríamos, mas fizemos muito, e agradeço hoje por estar aqui”, contou Irmã Francisca, visivelmente feliz com as homenagens.

Para o vereador Iran Barbosa, o trabalho realizado pelos missionários e missionárias belgas na Região do Baixo São Francisco deixou marcas muito fortes no povo, ajudando na educação de gerações e na organização das comunidades para a luta por terra e melhores condições de vida, enfrentando, muitas vezes, a ira dos coronéis da região, especialmente durante o regime militar.

“Hoje, quem vê irmã Francisca, com aparência frágil, tem oportunidade de conhecer uma gigante na construção de uma história de lutas e se regozija com a grandiosidade que há dentro dessa belga sergipana. A força e energia que a sua história de vida traz nos impulsiona na caminhada”, externou o parlamentar.

“Quem conhece a trajetória e as lutas de Irmã Francisca, enfrentando, muitas vezes, o autoritarismo dos coronéis e dos seus jagunços, compreende que há uma gigante dentro desse corpo hoje pequeno e frágil, e é do exemplo de lutadores como ela, que abdicou da família e da sua pátria de origem para vir para terras sergipanas ajudar a educar, evangelizar, organizar e fortalecer a luta do povo mais humilde, que me nutro e me fortaleço cada vez mais para as lutas que tenho pela frente. Saio daqui revigorado com a sua presença e rendo a ela e as demais irmãs de Namur as minhas mais sinceras homenagens”, disse Iran Barbosa.