Imprimir
PDF

Iran Barbosa analisa dados referentes à Educação sergipana no Ideb

Escrito por Valesca Montalvão | Foto: César de Oliveira on .

Pin It

“Os dados são emblemáticos e mostram como o nosso país está sacrificando as nossas gerações, relegando as etapas seguintes da Educação Básica a uma condição de abandono"“Os dados são emblemáticos e mostram como o nosso país está sacrificando as nossas gerações, relegando as etapas seguintes da Educação Básica a uma condição de abandono"Após a divulgação dos dados referentes ao Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) 2017, indicador avaliativo instituído pelo Ministério da Educação (MEC), o professor e vereador Iran Barbosa, do PT, fez uma análise do resultado histórico do índice em Sergipe.

Na tribuna da Câmara Municipal de Aracaju, nesta terça–feira, 11, o parlamentar ressaltou que o Ideb não pode ser a única referência para avaliar os índices de desempenho educacional.

“O Ideb se constitui numa avaliação de caráter externo (já que não se trata de uma avaliação produzida pelos sujeitos diretamente envolvidas no processo educacional); isolado (uma vez que recai exclusivamente sobre a aprendizagem e não considera as políticas do setor, o perfil sócio-econômico dos educandos e as dificuldades institucionais enfrentadas pelas escolas); pontual (pois avalia apenas alguns momentos do processo educacional) e restrito (visto que não considera o conjunto do currículo trabalhado pelas instituições de ensino)”, explicou.

De acordo com Iran, os dados do Ideb mostram que o Brasil caminha a passos lentos na obtenção das metas estabelecidas pelo MEC, pois essas metas só têm sido alcançadas com tranquilidade nas séries/anos iniciais do Ensino Fundamental.

“Os dados são emblemáticos e mostram como o nosso país está sacrificando as nossas gerações, relegando as etapas seguintes da Educação Básica a uma condição de abandono. Para atestar isso, basta olharmos como as metas estabelecidas pelo MEC para o Ideb nacional não são atingidas, na segunda fase do Ensino Fundamental e no Ensino Médio, desde 2013. No caso específico da rede estadual de Sergipe, a situação é ainda mais dramática, pois essas metas, no segundo ciclo do Ensino Fundamental, não são atingidas desde 2009. E, no caso do Ensino Médio, na rede estadual, a tragédia é ainda maior: nunca se atingiu a meta proposta, desde que o sistema de acompanhamento foi introduzido”, disse.

Ao trazer a realidade dos dados aferidos na capital sergipana, ficou constatado que “em 2011, 2013, 2015 e 2017, Aracaju também não atingiu a meta estabelecida para a segunda etapa do Ensino Fudamental”, lamentou Iran Barbosa.

Notícias relacionadas