Imprimir
PDF

Iran lamenta aprovação da reforma trabalhista e convoca os trabalhadores para a greve geral

Escrito por George W. Silva | Foto: César de Oliveira on .

Pin It

Para Iran, setores que apoiarem o golpe estão cobrando a fatura tirando dos trabalhadoresPara Iran, setores que apoiarem o golpe estão cobrando a fatura tirando dos trabalhadoresO Vereador Iran Barbosa (PT) lamentou e criticou, na manhã desta quinta-feira, 27, no Parlamento de Aracaju, a aprovação da proposta de Reforma Trabalhista, na Câmara Federal, em votação realizada ontem.

“Esta aprovação é o preço que setores do empresariado cobram do governo que se instalou, ilegitimamente, no Palácio do Planalto. Parece-nos que a Fiesp, a grande incentivadora do golpe que foi dado na esfera federal, está cobrando a fatura. E a fatura é esta: acabar com as conquistas históricas da classe trabalhadora, atingindo direitos sociais e trabalhistas e congelando os investimentos públicos nas políticas sociais por 20 anos”, declarou.

Diante da ofensiva contra os direitos dos brasileiros, o vereador petista convocou a população a aderir e participar da greve geral de amanhã (28), convocada pelas centrais sindicais e que tem recebido o apoio de vários setores da sociedade, como a Igreja e entidades  como a Anamatra – Associação Nacional dos Magistrados do Trabalho.

“A classe trabalhadora deve ir às ruas no Brasil inteiro e dizer não a essas reformas (trabalhista e previdenciária), mesmo sem o apoio da grande mídia, que também é golpista, porque patrocinou o golpe que foi dado. Os trabalhadores estarão em massa, amanhã, cruzando os braços e indo às ruas contra essas medidas antipopulares e antitrabalhistas”, conclamou.

O parlamentar aproveitou para alertar a população sobre as informações mentirosas, veiculadas em alguns meios de comunicação, apontando que o movimento sindical prepara ações violentas para impor a paralisação em determinados setores.

“Isso não é verdade, é terrorismo que estão fazendo através de veículos de comunicação, como se em Sergipe a tradição do movimento fosse de vandalismo. Não é. Aqui a tradição é de vencer fazendo luta e resistência de forma respeitosa, porém, com altivez”, lembrou.

Semiescravidão

Iran Barbosa também criticou as análises feitas por alguns órgãos de imprensa de que a greve geral trará prejuízos para a economia. “O grande prejuízo para a economia do nosso país é a classe trabalhadora ser submetida ao regime de semiescravidão, que é o que estão fazendo neste momento com essas reformas”, disse.

O petista também chamou a atenção dos empresários que não estão atentos para o fato de que as reformas trabalhista e previdenciária, da forma que estão sendo feitas, farão despencar a renda das famílias, que deixarão de consumir e de fazer girar a roda da economia.

“Essas reformas trarão consequências trágicas para o  funcionamento da economia do país e é também contra isso que estaremos nas ruas amanhã, lutando e protestando”, reforçou Iran.