Imprimir
PDF

Iran Barbosa participa do 23º Grito dos Excluídos

Escrito por George W. Silva on .

Pin It

Ao lado de companheiros de luta, Iran também pautou a luta do magistérioAo lado de companheiros de luta, Iran também pautou a luta do magistérioO Vereador Iran Barbosa, do PT, participou, como faz em todos os anos, no dia 7 de Setembro, do Grito dos Excluídos, que acontece após o desfile cívico das escolas da rede pública estadual, na Avenida Barão de Maruim, em Aracaju. Iran somou-se às centenas de militantes sociais, sindicalistas, professores, juventude e religiosos de várias matrizes que participaram do ato e da marcha, que saiu da Praça Fausto Cardoso e tomou a avenida com força.

Em sua 23ª edição, o Grito dos Excluídos teve como lema “Por direitos e democracia, a luta é todo dia”, e as falas reivindicavam a preservação e a ampliação de direitos sociais e trabalhistas, criticavam as reformas propostas pelo governo federal e também estadual, a corrupção, e o mais forte dos gritos, o “Fora Temer!”, ecoou na Barão de Maruim. O encerramento aconteceu na Praça da Bandeira.

Protesto chegou até o palanque das "autoridades"Protesto chegou até o palanque das "autoridades"“O momento político e social que vivemos no Brasil é grave e o Grito dos Excluídos reverberou a insatisfação popular com esse quadro nefasto que estamos assistindo, com os sucessivos ataques a direitos sociais e dos trabalhadores duramente conquistados, e à soberania nacional. Vemos um governo que quer colocar o país de joelhos, entregando as nossas reservas e o nosso patrimônio estatal, e sujeitar a população a toda forma de exploração em favor do capital. Não podemos aceitar que destruam o pouco que conseguimos avançar nos últimos anos. Vamos estar nas ruas e lutando contra esse governo golpista e os seus apoiadores, lá e aqui em Sergipe”, afirmou o Vereador.

Ainda de acordo com Iran, engana-se quem acha que a população vai aceitar calada, por muito tempo, tantos ataques aos seus direitos e pagar, novamente, a conta da crise. “O momento é complexo e as pessoas ainda estão meio perplexas e não se dão conta de que a cada dia, com este governo, um direito é retirado. E, novamente, estão poupando os ricos e jogando a conta da crise que eles mesmos criaram nas costas dos mais pobres e dos trabalhadores. Mas é tipo maré represada: uma hora a onda vai ser tão grande que não vai ter represa que segure”, crê Iran Barbosa.