Iran participa de ato em defesa da educação, da soberania brasileira e dos direitos dos trabalhadores

0
27

Em mais uma atividade de luta do magistério estadual, na tarde da quinta-feira (03), o deputado Iran Barbosa, do PT, somou-se aos professores, a lideranças sindicais, da juventude e do movimento popular no Ato Unificado contra a Reforma da Previdência, em defesa da Educação e das empresas públicas, que aconteceu em frente ao Palácio de Despachos do Governo do Estado.

O ato foi mais um da agenda de lutas dos dois dias de paralisação do magistério das escolas estaduais e municipais. No dia anterior, com o apoio do parlamentar petista, os professores ocuparam a Secretaria de Estado da Educação, do Esporte e da Cultura (Seduc) em protesto aos projetos de lei do Executivo que dispõem sobre o Sistema de Avaliação da Educação Básica de Sergipe e o Programa Alfabetizar pra Valer; contra o desmonte da carreira do magistério; e também em defesa do reajuste do valor do Piso Salarial e pela reorganização da carreira da categoria.

Em sua fala, o deputado e professor parabenizou os trabalhadores e sindicatos presentes, ressaltando a importância de se manter na luta permanente por direitos e contra as políticas de desmonte do Estado e da Educação.

“É preciso que estejamos nas ruas e em todos os espaços possíveis, manifestando a nossa indignação contra as políticas que não atendem aos interesses da classe trabalhadora. Em Sergipe, especificamente, temos sido vítimas de um governo que, o tempo todo, só apresenta diagnóstico dos problemas e discursos derrotistas e da impossibilidade, mas não apresenta alternativas de solução, apesar do discurso eleitoral do governador, que dizia que resolveria os problemas”, criticou.

O parlamentar lembrou que estados nordestinos que também vivem a realidade da crise econômica, como o Maranhão e o Rio Grande do Norte, têm apresentado propostas e alternativas que vão na linha da valorização dos profissionais do magistério e dos demais servidores públicos.

“O que há de errado em Sergipe que o governo só fala em tragédia econômica e na impossibilidade de resolver as questões? O que há de errado é que a forma de gerir a máquina pública não está condizente com as necessidades dos trabalhadores e da população sergipana”, disse.

Projetos de lei

Iran Barbosa aproveitou para criticar também a forma como o governo do Estado tem encaminhado os projetos que tratam da Educação para a Assembleia Legislativa, sem ouvir os sindicatos nem as demais entidades e instituições que tem o que debater sobre o assunto.

“Nenhuma lei torna-se legítima apenas por ter sido encaminhado pelo governo e aprovada pelo Legislativo. A legitimidade de uma lei tem que ser a legitimidade social, e isso está faltando”.

O petista lembrou, ainda, que o governo de Sergipe não apresenta nada de novo para a educação, mas vem resgatando propostas neoliberais que já foram, inclusive, derrotadas no passado pela mobilização da sociedade e pela luta dos trabalhadores.

“O que nós defendemos é que se tenha espaço para a construção de propostas dialogadas com a sociedade; que a educação seja construída a partir das necessidades do povo; que a economia do estado sirva aos interesses da população e não apenas aos interesses político-eleitorais e do grande capital. Não queremos a entrega das nossas riquezas aos estrangeiros, nem as privatizações das nossas estatais, tampouco das nossas escolas, porque é essa a proposta do governo do Estado: trazer para dentro das nossas escolas a lógica do privado. Contra tudo isso, resistiremos”, afirmou Iran.