Iran Barbosa solidariza-se a parlamentares vítimas de ataques e ameaças

0
260
Parlamentar defendeu a liberdade de expressão e o Estado Democrático de Direito [Foto: Jadíson Simões/Alese]

Na sessão mista da quinta-feira, 03, da Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese), o deputado Iran Barbosa, do PT, solidarizou-se a todos os eleitos no pleito deste ano que estão sofrendo ataques e até ameaças de morte por suas posições político-ideológicas; por serem negros, negras ou indígenas; e também em função de sua orientação sexual ou identidade de gênero.

Para Iran, o país vive um momento muito duro da sua história, onde as forças conservadoras já não se limitam a querer impor os seus valores e crenças nos espaços públicos e, agora, passam a atacar, ameaçar e até exterminar representantes eleitos que possuem visões política e ideológica divergentes da visão historicamente dominante; que são oriundos das camadas populares, das comunidades negras, indígenas e LGBTQIAa+; ou, como diriam os nazistas: “os diferentes de toda ordem”!

“São candidatos e candidatas que tiveram êxito nestas eleições municipais e estão sendo perseguidos, ameaçados de morte e atacados nas redes sociais por condições de raça, orientação sexual, identidade de gênero, ou ainda, por suas convicções político-ideológicas”, chamou a atenção o petista.

“Em um Estado Democrático de Direito não pode haver espaço para isso. É preciso que tenhamos a garantia da livre expressão de todos e é preciso que se assegurem oportunidades iguais para todos, sobretudo numa sociedade plural como é a nossa. É típico do Estado totalitário, especialmente no Estado fascista, essa tentativa de homogeneizar a população, exterminando os diferentes. Não concordamos com isso e combateremos”, enfatizou o parlamentar, que aproveitou para se solidarizar à vereadora Linda Brasil (Psol), primeira parlamentar transexual a ser eleita para a Câmara Municipal de Aracaju e a mais votada, pelas ameaças que vem sofrendo, como fez, recentemente, com a Professora Ana Lúcia Martins (PT), que vem sofrendo violentos ataques de cunho racista e ameaças de morte por ser a primeira vereadora negra eleita em Joinville/SC.

“Precisamos dizer, sobretudo àqueles que ocupam cargos nos parlamentos, que estes são espaços de pluralidade e de representação das mais diversas crenças, filosofias, ideologias, etc. As pessoas não podem ser ameaçadas ou mortas, como já aconteceu, em função de suas condições e posições diferentes. Fica o meu repúdio a essas ameaças e ataques”, afirmou Iran Barbosa.