Iran Barbosa relembra luta pela vacinação da comunidade escolar e defende imunização para todos

0
213

Diante do anúncio do governo estadual de que irá apresentar um plano de vacinação para os profissionais da educação até a próxima sexta-feira, 21, o deputado estadual Iran Barbosa (PT) relembrou toda a luta do mandato que representa e do magistério sergipano em defesa da imunização para a categoria, a fim de que se possa realizar um retorno gradual e seguro das atividades presenciais nas escolas. Desde o início da pandemia da Covid-19, o parlamentar vem defendendo, reiteradamente, que esse retorno só acontecesse com a vacinação da comunidade escolar, com a realização de testagem em massa e com a adoção de medidas garantidoras da vida de estudantes, professores e dos demais trabalhadores da educação.

Iran fez diversos apelos públicos ao governador de Sergipe, Belivaldo Chagas, ao secretário de Estado da Educação, do Esporte e da Cultura (Seduc), Josué Modesto, e à secretária de Estado da Saúde (SES), Mércia Feitosa, para que não houvesse o retorno presencial às aulas sem as mínimas condições de segurança e para que os trabalhadores em educação fossem incluídos como grupo prioritário no processo de imunização.

Em sua fala, Iran pontuou que solicitou, por diversas vezes, que o secretário de Estado da Educação, do Esporte e da Cultura apresentasse ao povo sergipano um plano seguro de retomada das atividades presenciais nas escolas; solicitou reunião  com o secretário de Educação para tratar sobre a vacinação da comunidade escolar e de pautas do Magistério; apresentou Projeto de Lei propondo requisitos mínimos a serem respeitados para que haja o retorno das atividades presenciais nas escolas dos Sistemas Estadual e Municipais de Ensino do Estado de Sergipe.

Iran Barbosa também apresentou Indicação solicitando ao governador a imediata revogação das atividades presenciais para os 1º e 2º anos do ensino fundamental; propôs a abertura de diálogo com a comunidade escolar para a elaboração de um Plano Estadual de Retomada das Atividades Presenciais nas Escolas; acionou a Justiça através de uma Ação Popular, juntamente com a vereadora Professora Ângela Melo, para sustar a decisão governamental e suspender a permissão de retorno das atividades escolares presenciais dos 1º e 2º anos do ensino fundamental das escolas públicas e particulares que desempenham suas atividades no território sergipano; repudiou declarações do líder do governo federal contra o Magistério, que resiste a qualquer forma irresponsável de retorno das atividades escolares presenciais,  apresentando uma Moção de Repúdio; além de ter feito inúmeros pronunciamentos na Casa Legislativa sobre o assunto.

“Venho tratando deste assunto desde o início da pandemia, desafiando o governo a tomar medidas antecipadas que preparem o retorno às escolas. Tenho levantando a preocupação com iniciativas, por parte de qualquer esfera de governo, tendentes a forçar o retorno das atividades presenciais nas unidades de ensino em meio a essa crescente onda de contaminação e mortes. A nossa defesa é pela preservação da vida e da saúde dos professores, trabalhadores da educação, assim como das crianças, adolescentes e suas famílias, englobando, em um aspecto maior, a saúde de toda a sociedade, já que a escola não é uma célula isolada”, afirmou Iran, registrando toda a sua luta e, também, da própria comunidade escolar, que vem resistindo ao retorno das aulas presenciais sem vacina e condições adequadas.

“Embora tardiamente, com esperança e fruto de muita luta, recebemos o anúncio do governo sobre o início da vacinação para os trabalhadores em educação. Continuaremos a acompanhar o desenrolar desse processo e avaliando o plano que será divulgado”, disse.

Por fim, Iran Barbosa voltou a defender que é preciso garantir vacina para todos.

“Aproveito para cobrar das autoridades responsáveis a disponibilização de vacinas para garantir a vacinação em massa do povo brasileiro, como tem sido feito em outros países. O Brasil já deu lição ao mundo de como fazer o processo de vacinação em massa e se isso não está acontecendo agora é em razão da negligência daqueles que, em lugar do negacionismo, deveriam ser responsáveis pela saúde do povo brasileiro. Defender a vacina é defender a vida”, finalizou o parlamentar.