Imprimir
PDF

No Dia da Consciência Negra, Iran defende cota para negros em concurso público

Escrito por George W. Silva on .

Pin It

Para Iran, negros ainda são parcela da sociedade que mais sofre discriminaçãoPara Iran, negros ainda são parcela da sociedade que mais sofre discriminaçãoNesta segunda-feira, 20, Dia Nacional da Consciência Negra, o Vereador e Professor Iran Barbosa (PT) participou, na Câmara Municipal de Aracaju, de Sessão Especial alusiva à data. Proposta pelo Vereador Professor Bittencourt (PCdoB), a sessão contou com as participações da Professora Mestra Maria Nele dos Santos, do Departamento de História da Universidade Federal de Sergipe (UFS); de Severo D’Acelino, ator, poeta, dramaturgo e ativista dos Direitos Humanos e das causas negras; e de Taty Menezes, coordenadora do Movimento Negro Jovem. Parlamentares, representantes de sindicatos, de órgãos governamentais, de entidades do movimento negro e militantes sociais prestigiaram a sessão.

Em sua fala, o Vereador Iran Barbosa parabenizou o proponente da sessão pela iniciativa e destacou a importância dos palestrantes e dos seus depoimentos. “Foram falas importantes, carregadas de emoção, e que nos ajudam a refletir sobre o significado desta data, que expressa a resistência do povo negro à opressão e à escravidão, buscando a afirmação de uma consciência sobre o seu destacado papel na construção da história da nossa Nação", disse o parlamentar.

Cotas para negros em concursos

Várias representações do movimento negro estiveram na CâmaraVárias representações do movimento negro estiveram na CâmaraO vereador destacou, ainda, que há algum tempo vem tratando com o Promotor de Justiça Luís Fausto Valois, coordenador de Promoção da Igualdade Étnico-Racial – COPIER – do Ministério Público Estadual (MP/SE), e também, por intermédio da sua assessoria, com a equipe da Coordenadoria de Promoção da Equidade da Diretoria de Direitos Humanos da Secretaria Municipal de Assistência Social e Cidadania (Semasc), no sentido de dar corpo a um Projeto de Lei que regulamente o direito à reserva de vagas para negros em concursos públicos no âmbito do município de Aracaju.

“O Projeto de Lei já está pronto e vou estar protocolando aqui na Casa. O colega e ex-vereador Emmanuel Nascimento apresentou projeto semelhante, tentou aprová-lo aqui, mas não conseguiu, sob votos contrários com argumentos dos mais variados e equivocados, que tentavam descaracterizar uma política afirmativa, querendo tratar como política de privilégio em favor de um grupo étnico, argumento que não tem o menor cabimento”, externou.

“E para mim, foi uma grata surpresa ver, no noticiário local, que o Poder Executivo de Aracaju vai tomar essa iniciativa, apresentando um Projeto com este teor, regulamentado a reserva de vagas para negros nos concursos públicos municipais. Vou prosseguir com o meu projeto, a título de contribuição e por ser fruto de discussões com grupos com os quais me comprometi em apresentá-lo. Mas estou realmente gratificado em ver que o Prefeito de Aracaju vai assumir essa iniciativa”, disse Iran, acrescentando que a proposta não pode ser tratada como um favor à comunidade negra ou benefício, mas como uma a necessidade de reparação pelo que sofrem os negros numa sociedade segregadora e racista como a brasileira.

“Entre os maiores excluídos do nosso país estão as populações negras; os negros são os que tem menos oportunidades e recebem os menores salários; os negros continuam engrossando os números de vítimas da violência cotidiana; a juventude negra continua sendo a mais assassinada. Precisamos de políticas públicas para  superar essa desigualdade e o que a injustiça da nossa sociedade foi sempre relegando a segundo plano. Essa é uma tarefa nossa e que vamos aqui estar sempre disputando e defendendo”, enfatizou Iran Barbosa.