Imprimir
PDF

Iran Barbosa defende reforma e ampliação da rede de bibliotecas municipais

Escrito por Valesca Montalvão on .

Pin It

Bilbioteca pública municipal Clodomir Silva, localizada no bairro Siqueira CamposBilbioteca pública municipal Clodomir Silva, localizada no bairro Siqueira CamposNa data em que é comemorado o Dia Nacional do Livro Infantil, 18 de abril, data do nascimento de Monteiro Lobato, o Vereador Iran Barbosa (PT) defendeu a importância da política de reforma, modernização e manutenção da rede de Bibliotecas Públicas Municipais; bem como a necessidade de ampliação e descentralização da pequena rede de bibliotecas de Aracaju.

Na tribuna da Câmara Municipal de Aracaju, nesta quarta-feira (18/04), o parlamentar pontuou que esse tipo de investimento assegura mais acesso à Cultura, já que as bibliotecas são consideradas instrumentos de democratização do conhecimento, do entretenimento e do lazer.

Iran lembrou que, desde a legislatura passada, apresenta um conjunto de Indicações na Câmara Municipal com estas finalidades.

“Atualmente, contamos apenas com poucas bibliotecas municipais, a exemplo da Clodomir Silva, no Siqueira Campos; e da Ivone de Menezes Vieira, na Farolândia. Ambas estão precisando de uma maior atenção por parte do Poder Público Municipal, no sentido de recuperar as suas estruturas interna e externa”, afirmou Iran.

“Diante do escasso número de bibliotecas existentes em nossa cidade, proponho que esta rede seja ampliada e que as possíveis novas construções sejam avaliadas para que ocorram em bairros como o América, Santos Dumont, Aruana, Bugio e no Conjunto Orlando Dantas” disse o parlamentar, argumentando que as novas construções possibilitarão à população dessas localidades, e sua vizinhança, o acesso a um espaço de cultura e lazer.

Ainda segundo Iran, a Administração Municipal tem respondido às suas Proposituras, argumentando a indisponibilidade de recursos orçamentários para o investimento na reforma e ampliação da rede de bibliotecas.

No entanto, o parlamentar argumenta dizendo que “na elaboração do Orçamento, por meio de emendas, sempre sugiro um remanejamento dos recursos para ampliar a previsão orçamentária para a área da Cultura, mas as emendas acabam não sendo aprovadas, por orientação da própria liderança do governo. Isso demonstra que, além dos recursos, é necessário que haja, também, boa vontade e decisão política do gestor municipal para que isso ocorra. Além disso, nunca é demais lembrar que existem outros mecanismos para a busca de recursos federais, internacionais e de outra natureza, através de projetos que visem à obtenção dessa importante conquista”.

“Esta é uma necessidade para a qualidade de vida que nós almejamos. Gostaria de enfatizar, ainda, que o atual conceito de biblioteca não pode ser mais restrito. As bibliotecas devem ser vistas na perspectiva de amplos Centros Culturais, que agregam na sua acepção, várias formas de acesso aos bens culturais interligados à leitura”, destacou.

Iran advertiu, também, que apesar de as redes sociais, a internet e todo o aparato tecnológico disponível nos dias de hoje serem uma conquista da humanidade, “temos que ser vigilantes para os perigos que o perfil de comunicação usual nesses novos meios pode trazer, estimulando a possibilidade de formação de um tipo de leitor diferente daquele que é impulsionado pela existência e ampla utilização das bibliotecas”.

"Temos que cuidar para que a leitura superficial, tão propalada nas redes sociais, não suplante a formação de escritores e leitores críticos, analíticos e com capacidade de leitura e produção de textos com profundidade. Sem sombra de dúvidas, as bibliotecas, tomadas na sua acepção moderna, são verdadeiros centros de estímulo do bom uso da tecnologia disponível, em favor da formação de cidadãos com capacidade de interagir e interferir na sua realidade social. E é isso que eu proponho para a nossa cidade", finalizou.

Notícias relacionadas