Imprimir
PDF

Ausência de jovens no ambiente escolar e de trabalho é tema de discurso de Iran Barbosa

Escrito por Valesca Montalvão | Foto: Gilton Rosas on .

Pin It

Iran analisou os dados ao discursar na tribuna da CMAIran analisou os dados ao discursar na tribuna da CMANa manhã desta quarta-feira, 5, o vereador Iran Barbosa (PT) fez uma análise dos dados apresentados pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), em parceria com outras entidades, sobre os jovens brasileiros, latino-americanos e caribenhos. O parlamentar destacou que o estudo revela um cenário a ser combatido, sendo consequência da falta de priorização de políticas públicas para a juventude.

Segundo os dados, 23% dos jovens brasileiros não trabalham e nem estudam, sendo um dos maiores percentuais entre nove países da América Latina e Caribe, nos quais foram coletados os dados.

“Esse dado é muito preocupante, pois vivemos em um país que tem um alto percentual de jovens na sua população. Porém, para quem está no dia a dia, dentro da sala de aula, como eu, essa realidade já é vivenciada, pois, cada vez mais, as matrículas caem e não há a migração desses jovens nem para a rede pública e nem para a rede privada”, disse Iran.

Ainda segundo Iran, a pesquisa aponta que essa parcela da juventude não pode ser taxada como ociosa e/ou improdutiva, já que 31% deles estão procurando trabalho e 64% estão voltados para o cuidado doméstico e familiar.

“Ou seja, não é que não estão fazendo nada. Não seremos simplistas em afirmar que são jovens preguiçosos porque há razões que precisam ser entendidas, como por exemplo problemas com habilidades cognitivas e socioemocionais, falta de políticas públicas e obrigações familiares com parentes e filhos”, comentou Iran.

A solução para esse cenário, de acordo com a pesquisa, é a “garantia de políticas públicas de subsídio para que os jovens possam transpor esse momento, investimento em políticas de atendimento em creches e políticas para a transição bem-sucedida entre as fases de estudo e trabalho”, acrescentou.

“Precisamos romper esse ciclo. Sem isso, fica difícil os nossos jovens serem priorizados. Tudo para a nossa juventude é necessário”, finalizou Iran Barbosa.

Notícias relacionadas