Imprimir
PDF

Junto com a CUT, Iran pede instalação em Sergipe da Comissão da Verdade

Escrito por George W. Silva on .

Pin It

Iran durante o ato; ao lado, boneca em pau-de-arara simbolizou as vítimas de torturaIran durante o ato; ao lado, boneca em pau-de-arara simbolizou as vítimas de torturaO vereador Iran Barbosa, PT, participou na manhã desta segunda-feira, 1º de abril, no Calçadão da João Pessoa, do ato da Central Única dos Trabalhadores de Sergipe (CUT/SE) pela instalação da Comissão da Verdade do estado, para auxiliar a Comissão Nacional, já instalada e em pleno funcionamento, na investigação de violações aos direitos humanos cometidos durante o regime militar por agentes do Estado.

Dezessete estados já instalaram as suas comissões da Verdade. Sergipe ainda não. Vários sindicatos cutistas, além da deputada estadual Ana Lúcia (PT), participaram do ato. Vários banners e uma boneca presa a um “pau-de-arara” (instrumento de tortura muito utilizado pelos militares contra civis) chamaram a atenção das pessoas que passavam pelo Calçadão.

Em 1º de abril, há 49 anos, os militares derrubaram o governo eleito de João Goulart e impuseram à força um regime autoritário que ceifou, ao longo de 21 anos, muitas vidas de militantes de esquerda e opositores do regime, deixando sequelas em muitos outros que foram presos, torturados, exilados. Até hoje há um número impreciso de desaparecidos políticos.

Com o companheiros Dudu Marques, deputada Ana Lúcia e Ivônia Ferreira, da CUUT/SECom o companheiros Dudu Marques, deputada Ana Lúcia e Ivônia Ferreira, da CUUT/SEO vereador lembrou que é preciso que o estado de Sergipe, o município de Aracaju, Assembleia Legislativa e Câmara municipal possam instalar as suas comissões da Verdade para ajudar no processo de revelar os fatos ocorridos nos chamados “Anos de Chumbo”, de 1964 a 1985, em que o país esteve sob Estado de Exceção, governado por militares.

“É preciso buscar resgatar a verdade relativamente a este período obscuro da nossa história, período este que até hoje não estão devidamente registrado, em que a verdade, a memória e a história real, tal como ocorreu, não estão devidamente contadas nos livros. Estão dispersas nos diversos arquivos de diversas instâncias de poder e é tarefa do povo e dos poderes instituídos, numa democracia como esta que estamos construindo, buscar resgatar. Não podemos ter nos livros de História do Brasil os registros equivocados como os que ainda hoje temos relativos à Ditadura Militar”, destacou Iran Barbosa.

Ato chocou e chamou bastante a atenção da populaçãoAto chocou e chamou bastante a atenção da populaçãoPara ele, é preciso que se saibam os nomes e as responsabilizações de cada ditador e de cada torturador do regime de 64 a 85, e reparações aos torturados e às suas famílias pelo que sofreram naquele período. “É preciso que as futuras gerações tenham acesso a informações verídicas sobre esse período da história do país, até para que episódios como os patrocinados por aquela ditadura sanguinária, que perseguiu, torturou, matou, deu sumiço a um conjunto grande de lutadores do povo, não venham mais a se repetir”, defendeu.

Na condição de vereador de Aracaju, o petista afirmou que estará dando entrada na Câmara Municipal em propostas para a criação das comissões da Verdade do legislativo aracajuano e do Município.

Vergonha

Para Rubens Marques de Sousa, o Dudu, presidente da CUT/SE, a demora de Sergipe em instalar a sua Comissão Estadual da Verdade chega a ser vergonhosa.

"Não entendo o porquê de não se instaurar a Comissão da Verdade em Sergipe. Enviaremos um ofício à Secretaria Estadual de Direitos Humanos para saber se há a intenção por parte do Governo. Caso não haja, nós, de forma independente, realizaremos um documentário para enviar à Comissão Nacional, o que é prejudicial, já que não teremos acesso aos documentos que estão em poder do Governo de Sergipe”, afirmou o presidente.