Audiência Pública discutirá as enchentes no Jabotiana e em São Cristóvão

0
496

Nesta sexta-feira, dia 23, a partir das 8 horas, a Assembleia Legislativa de Sergipe realizará, por iniciativa do deputado Iran Barbosa (PT), Audiência Pública para discutir o tema “As causas e os impactos das enchentes no bairro Jabotiana e São Cristóvão”, motivado pelo que aconteceu no início do mês de julho, quando após dias de fortes chuvas na região da Grande Aracaju, moradores de conjuntos habitacionais como Sol Nascente, Santa Lúcia, JK, Largo da Aparecida e conjuntos habitacionais em áreas no município de São Cristóvão ficaram ilhados e desabrigados por conta do transbordamento do rio Poxim, situação que vem se repetindo há anos.

Participarão da Audiência Pública, como palestrantes, o professor Antônio Wanderley e o petroleiro Stoessel Chagas (Toeta), representantes dos moradores das comunidades atingidas pelas enchentes, e as professoras Dra. Vera França (Geografia/UFS) e Dra. Sarah Alves França (Arquitetura e Urbanismo/UFS). Também foram convidadas representações dos ministérios públicos Federal (MPF) e Estadual (MPE), dos órgãos ambientais do Estado, de Aracaju e de São Cristóvão.

“Será muito importante essa discussão, onde representantes das comunidades que vêm sofrendo com essas enchentes trarão os seus relatos sobre os problemas enfrentados e, onde também, ouviremos especialistas e representantes de órgãos que têm o que dizer sobre esse tema”, explicou Iran Barbosa.

“Fica o convite à população e também aos parlamentares. Precisamos nos preocupar cada vez mais com a situação daquela região e buscar, a partir do que for discutido na audiência, apresentar alternativas e cobrar das gestões públicas soluções para mitigar o sofrimento naquelas comunidades sempre que chove acima do esperado e superar o problema das enchentes na região”, colocou o petista.

De acordo com a Empresa Municipal de Obras e Urbanização de Aracaju, grande parte do problema na região da Jabotiana e adjacências é que o projeto de macrodrenagem para todas as áreas próximas ao rio Poxim está subdimensionado. A região é antiga e, com a explosão de condomínios na região e o adensamento populacional, hoje o diâmetro da rede de drenagem é inadequado. Entre as soluções para as enchentes, conforme estudos da Emurb, estão a realização de obras para aumentar o diâmetro da drenagem, limpeza e aumento de canais, e a construção de lagoas de detenção, o que envolve grande volume de recursos.