Iran destaca Dia Nacional de Luta pela Valorização da Enfermagem

0
185
Manifestação em frente ao Hospital Regional de Nossa Senhora da Glória | Foto: Divulgação

Nesta quarta-feira, 30, Dia Nacional De Luta Pela Valorização Da Enfermagem, o deputado estadual Iran Barbosa, do PT, aproveitou a Sessão Mista da Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese) para registrar a realização da mobilização nacional dos profissionais da enfermagem, que reivindicam a aprovação do Projeto de Lei n° 2564/2020, que institui o piso salarial nacional do enfermeiro, do técnico de enfermagem, do auxiliar de enfermagem e da parteira, bem como fixa em 30 horas semanais a jornada de trabalho para a categoria.

Em Sergipe, de acordo com Iran, foi realizado um ato público em frente ao HUSE e uma manifestação em frente ao Hospital Regional de Nossa Senhora da Glória, além de outras atividades.

Ato público em frente ao HUSE | Foto: Divulgação

“Valorização profissional efetiva requer uma definição legal de uma jornada de trabalho adequada e a determinação de um piso salarial condizente com a relevância social do papel e função desses profissionais. Sendo assim, precisamos continuar lutando por direitos e garantias para o melhor exercício da Enfermagem”, entende.

“Trata-se de uma luta histórica mais do que justa. Quem está na linha de frente em defesa de nossa vida, merece todo o nosso respeito e apoio”, acrescentou Iran.

‘500 Velas por 500 Mil Mortos’

O parlamentar também aproveitou a oportunidade para registrar a realização do ato ecumênico inter-religioso ‘500 Velas por 500 Mil Mortos’. O evento vai acontecer a partir das 17h, desta quarta-feira, na Praça Fausto Cardoso, Centro de Aracaju.

“No último dia 19 de junho, o Brasil ultrapassou a marcar de 500 mil mortos por Covid-19, desde que foi registrado o primeiro caso no nosso país. Desde então estão ocorrendo mobilizações por diversas cidades do país. São acendidas 500 velas como um lamento coletivo pelas pessoas que se foram e em acolhimento às famílias enlutadas, mas também é uma forma de cobrar vacinação para todos, auxílio emergencial, democracia e ações de combate à fome”, explicou.

O ato inter-religioso é uma ação da Igreja Presbiteriana Unida do Brasil, Arquidiocese de Aracaju, Fórum Sergipano das Religiões de Matriz Africana, Centro Ecumênico de Estudos Bíblicos, Rede Matriz Africana (REMA) e pelo MOTU.