Iran Barbosa parabeniza assistentes sociais pela criação da frente pela valorização da profissão

0
239
Encontro reuniu representantes de 15 municípios e definiu criação de Frente

O deputado estadual Iran Barbosa, do PT, destacou, na Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese), na manhã desta quarta-feira, 6, a proposta de criação da Frente em Defesa da Valorização da Profissão de Serviço Social, como resultado do encontro realizado pela categoria dos assistentes sociais, no último dia 23 de setembro, reunindo representantes de 15 municípios sergipanos e no qual debateram o cenário de desvalorização salarial e da falta de condições de trabalho da categoria nos municípios.

A Frente visa despertar a sociedade e os gestores para a importância dessa profissão na execução das políticas sociais dentro dos municípios, viabilizando o acesso da população aos seus direitos fundamentais.

“Parabenizo as assistentes e os assistentes sociais de Sergipe por essa iniciativa e quero, evidentemente, colocar o mandato que represento à disposição dessa Frente, porque sei qual é o significado e a importância que tem essa categoria na garantia da implantação e da implementação das políticas públicas que atendem especialmente à população mais necessitada em nosso estado e nos vários municípios”, afirmou Iran Barbosa.

De acordo com o parlamentar, a criação da Frente em Defesa da Valorização da Profissão de Serviço Social conta com a participação de trabalhadores das diversas áreas de atuação dos assistentes sociais, que atuam na maioria dos 75 municípios sergipanos e pretende não apenas discutir as questões salariais da categoria, já que a maioria desses trabalhadores convive com a realidade de baixíssimos salários; mas, também pretende denunciar as péssimas condições de trabalho a que boa parte é submetida nos municípios.

“Além das várias condições absurdas de trabalho, que são denunciadas a todo momento, não há política de reposição salarial para a categoria, e isso leva a um achatamento gigantesco dos salários que, hoje, leva esses profissionais a serem sub-remunerados, logo eles, que são responsáveis pela execução de políticas públicas essenciais, especialmente nesses tempos de Covid”, lamentou o petista, solidarizando-se com a categoria.