Iran Barbosa é homenageado na abertura do projeto Alma Africana

0
214
“Gostaria de agradecer o reconhecimento e enfatizar que estou muito feliz por estar aqui, participando deste momento, porque esses espaços, onde há o protagonismo juvenil, alimentam a nossa esperança e fortalece a nossa luta", externou Iran Barbosa.

Celebrar a história, a resistência e a luta de africanos/as e afro-brasileiros/as, através de estudos, produções científicas e culturais. Com esta missão, alunos e alunas do Colégio Estadual John Kennedy, há 13 anos, desenvolvem o projeto Alma Africana.

Neste sentido, nesta sexta-feira, 13, aconteceu a solenidade de abertura do referido projeto, no Teatro Atheneu. O deputado estadual Iran Barbosa (Psol) participou da atividade e foi homenageado com o troféu Malungo.

Para Iran Barbosa, que vivencia o projeto desde o início, quando ainda era desenvolvido na Escola Estadual Professor Benedito Oliveira, esse é um importante espaço de história, de resistência e de fortalecimento na construção de uma sociedade que precisa ser acolhedora, solidária e justa.

“Inicialmente, gostaria de parabenizar os estudantes pelo protagonismo na construção e execução do projeto, estendendo os cumprimentos à equipe diretiva e aos professores, em nome do professor idealizador Evanilson França”, mencionou Iran, pontuando que projetos, como esse, precisam ser enfatizados e destacados.

“E o John Kennedy, como todas as escolas, tem uma tarefa fundamental: refletir sobre a nossa história, em busca de qual sociedade queremos e como podemos ser protagonistas nessa construção”, afirmou.

Durante a mesa de abertura, a diretora do Colégio John Kennedy, professora Armênia Christina Ribeiro Fernandes explicou como acontece o desenvolvimento do projeto, ressaltando que os estudantes são a alma do Alma Africana, além de refletir sobre a necessidade de defender e lutar por uma educação pública de qualidade.

O idealizador do projeto, professor Evanilson França, resgatou a história do Alma Africana, reafirmando que os espaços escolares devem ser espaços de movimentos sociais, de resistência e de estímulo aos debates e reflexões, como acontece no Projeto Alma Africana.

Por fim, Iran Barbosa agradeceu a homenagem.

“Gostaria de agradecer o reconhecimento e enfatizar que estou muito feliz por estar aqui, participando deste momento, porque esses espaços, onde há o protagonismo juvenil, alimentam a nossa esperança e fortalece a nossa luta. A nossa juventude é o símbolo de esperança para aqueles que querem transformar o mundo num lugar melhor para todos”, externou Iran Barbosa.