A convite da CNTE, Iran Barbosa participa de Ato em defesa de orçamento para a Educação

0
78

Nesta quinta-feira, 17, às 18h, de forma virtual, 54 Entidades da sociedade civil e 16 Frentes Parlamentares do Congresso Nacional ligadas à educação realizam o Ato Virtual ‘Orçamento justo para a educação em 2021’. A realização da atividade foi o tema abordado pelo deputado estadual Iran Barbosa (PT), nesta manhã, durante a Sessão Mista da Assembleia Legislativa de Sergipe. Para o petista,  não é possível ter Educação de qualidade sem que haja investimento público, o que exige que essa política pública seja prioridade nos orçamentos.

De acordo com o educador, que foi convidado para participar do Ato pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), representando a região Nordeste, a atividade tem como objetivo denunciar as tentativas de desmonte da Educação Pública.

“Vamos denunciar a perspectiva absurda de corte de quase dois bilhões de reais no orçamento para as chamadas despesas discricionárias para a educação, que envolvem o custeio e os investimentos.  Além disso,  vamos reivindicar a imediata instalação da Comissão Mista de Orçamento do Congresso Nacional e de uma Comissão-Geral no Parlamento brasileiro para discutir os recursos para a Educação para 2021”, explicou.

“Nós precisamos ter um orçamento público que expresse a necessidade de prestigiar a educação do povo do nosso país e não um orçamento que traga a perspectiva de cortes. Estaremos participando desse Ato, defendendo mais recursos para a Educação, que não haja cortes nessa área estratégica para o desenvolvimento nacional”, manifestou Iran Barbosa.

O parlamentar lembrou que essa luta deve ser feita constantemente também em Sergipe.

“Recentemente, quando a Alese aprovou o Projeto de Lei Ordinária Nº 105/2020 (LDO), de autoria do Poder Executivo, que dispõe sobre as diretrizes para a elaboração da Lei Orçamentária para o exercício de 2021, lamentavelmente, emendas que propus numa linha de garantirmos ampliação de recursos para a Educação foram rejeitadas”, pontuou.