Iran registra participação em carreata e critica políticas do governo federal

0
126

O deputado estadual Iran Barbosa, do PT, aproveitou a sessão mista da Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese), desta terça-feira, 23, para registrar a sua participação na 3ª Carreata pelo ‘Fora Bolsonaro’, puxada pelas centrais sindicais e frentes populares que aconteceu no último sábado, 20/2, percorrendo bairros da Zona Norte de Aracaju, chegando a Nossa Senhora do Socorro, onde lideranças do movimento sindical e social dialogaram com a população dessas localidades, durante todo o percurso, sobre a luta por vacinas para todos, mais investimentos no Sistema Único de Saúde, mais empregos, retorno do Auxílio Emergencial, mais serviços públicos e em defesa dos direitos trabalhistas.

“Foram denunciados os ataques do governo federal à nossa sociedade, ao nosso povo e, também, aos trabalhadores. Estive presente e pude ver e sentir a receptividade da população durante a carreata, o clima de revolta das pessoas em relação às políticas antipopulares em andamento que atacam os serviços e os servidores públicos, e o povo de uma maneira geral, que tem enfrentado a falta de insumos para a própria sobrevivência, especialmente entre as parcelas mais pobres da população”, relatou.

Ainda de acordo com Iran, há uma insatisfação generalizada por parte da população em relação à alta dos preços dos produtos alimentícios, dos combustíveis, ao crescimento do desemprego, ao fim do auxílio emergencial, e à falta de perspectivas em relação à vacinação contra a Covid-19, que segue a passos lentos, enquanto a doença avança de forma acelerada.

“Diante disso tudo, eu entendo que deve haver uma pressão mais forte de nossa parte para cobrar ações dos governos estaduais, dos parlamentos federal e estaduais, em sintonia, para o enfrentamento a essas políticas antipopulares e que vêm massacrando a população e os trabalhadores”, disse o parlamentar petista.

Iran aproveitou para destacar que na quarta-feira, 24, está programada uma nova manifestação dos movimentos sindical, social e popular, agora em frente ao Congresso Nacional, em Brasília, contra a chamada PEC Emergencial (PEC 186/2019), que deve ter sua votação iniciada na quinta-feira, 25, e que, na sua opinião, configura-se como mais uma armadilha do governo federal, aproveitando-se da pandemia, para aprofundar cortes em direitos da população nas áreas de saúde e educação, além de acabar com a obrigatoriedade de reajuste do valor do salário mínimo, congelar salários de servidores públicos e impedir a contratação de pessoal, pelo período de dois anos.