Iran Barbosa participa de ato contra a privatização dos Correios

0
162
Ato aconteceu em frente à agência dos Correios do centro de Aracaju

O deputado estadual Iran Barbosa, do PT, participou, na manhã desta quarta-feira, 14, do ato organizado pelo Sindicato dos Trabalhadores dos Correios de Sergipe (SINTECT/SE) com apoio da Central Única dos Trabalhadores (CUT), em frente à agência dos Correios do Calçadão da Rua João Pessoa, no Centro da capital, contra a proposta do governo federal de privatização total da estatal. O Projeto de Lei n° 591/2021 já tramita na Câmara dos Deputados em regime de urgência.

Para o parlamentar, a venda da estatal trará enormes prejuízos para a população brasileira, especialmente as pessoas que vivem em localidades longínquas. Os Correios são a única empresa presente, sem exceção, em todos os municípios brasileiros, além de, diferente do que vem alardeando os defensores da privatização, a estatal tem fechado sucessivos balanços com lucros para o Estado brasileiro.

“Essa privatização trará problemas concretos para a vida de todos os brasileiros e brasileiras. Mesmo com todo o desenvolvimento tecnológico, os serviços prestados pelos Correios ainda são muito importantes para a população. São eles os responsáveis por muitos programas nacionais chegarem a todos os lugares do país, como a entrega dos livros do Programa Nacional do Livro Didático nas escolas públicas; a distribuição de vacinas para os programas de imunização em que o Brasil sempre foi referência mundial, entre outros”, lembrou.

Ainda segundo Iran, quem comprar os Correios não terá interesse em atuar nas localidades distantes ou mesmo isoladas, já que não darão lucro aos acionistas, diferente de uma empresa pública, que tem o caráter do interesse público em primeiro lugar. Para o parlamentar, quanto mais se ataca os serviços públicos e as empresas públicas nacionais, mais se precariza o atendimento à população, especialmente as parcelas mais pobres.

“Portanto, a quem de fato interessa a privatização de uma empresa estratégica para o país como os Correios? E é bom lembrar que o atual governo federal não quer privatizar apenas a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos, mas muitas outras empresas estratégicas, porque o projeto é de desmonte do Estado brasileiro. Um país que quer ser soberano, que deseja que o seu povo viva com autonomia, não entrega empresas como os Correios ao setor privado”, alertou o petista, que colocou o seu mandato à disposição do SINTECT, da luta contra as privatizações e em defesa dos servidores e dos serviços públicos.