Iran repudia declarações de líder do governo federal contra o Magistério

0
347

O deputado estadual Iran Barbosa, do PT, repudiou, de forma veemente, as recentes declarações do líder do governo federal na Câmara dos Deputados, Ricardo Barros (PP-PR), contra o magistério brasileiro. O tema foi abordado na manhã desta quinta-feira, 22, durante a Sessão Remota da Assembleia Legislativa de Sergipe – Alese.

Iran avaliou que as afirmações feitas pelo líder do governo federal, em entrevista a uma emissora nacional, são muito graves e desrespeitosas. O deputado Iran, que também é professor, cobrou  respeito à categoria. 

Durante a sua fala, Iran repudiou a alegação de que “os professores não querem trabalhar” feita pelo parlamentar federal, o que considerou como informação inverídica, dado que os educadores brasileiros continuam, muitas vezes com utilização dos seus recursos pessoais, atendendo aos seus alunos, ainda que de forma remota.

“Os professores e professoras merecem respeito e reconhecimento pela sua dedicação. Atacar uma categoria de profissionais que sustenta o funcionamento da Educação nas condições absurdas de trabalho que tem é uma injustiça inominável. O líder do governo federal na Câmara precisa conhecer melhor a realidade dos professores e professoras deste país. Suas declarações são facilmente desmentidas pela realidade, sobre a qual ele demonstra desconhecimento”, disse Iran.

O deputado Iran Barbosa também considerou inaceitável que o deputado Ricardo Barros tenha afirmado que os professores são causadores de danos às nossas crianças.

“Logo o Magistério que abraça a elevada tarefa de formar, educar e preparar nossas crianças e jovens para a vida e para o pleno exercício da cidadania. Este tipo de agressão é inaceitável”, disse.

As críticas feitas pelo deputado Iran Barbosa ao conteúdo da entrevista do líder do governo federal também se estenderam à alegação infundada de que o professor não quer se modernizar e não quer se atualizar, acusando os educadores de, por já terem passado em concurso, só estarem esperando se aposentar, sem querer aprender mais nada. 

“É uma visão preconceituosa e absurda! Essas declarações também são facilmente desmentidas pela realidade e pelas pesquisas e dados sobre a carreira do magistério, que mostram, por exemplo, que os professores têm, cada vez mais, buscado sua formação em níveis mais elevados, muitas vezes às próprias custas e sem garantia de retorno remuneratório nas suas carreiras. Todo dia o professor é desafiado a aprender e a continuar trabalhando, e muito! Gostaria de manifestar a minha repulsa a essas intoleráveis declarações e, contra elas, estou apresentando, para a apreciação do conjunto de colegas parlamentares, uma Moção de Repúdio, para que esta Casa Parlamentar possa firmar posição institucional acerca de fatos tão repulsivos”, posicionou-se Iran Barbosa.